segunda-feira, 29 de abril de 2013

Gianni Morandi - Tutti Successi Di

Gianni Morandi (Monghidoro, Emilia-Romagna, 11 de dezembro de 1944) é um cantor pop italiano.
Nascido Gian Luigi Morandi tornou-se uma das mais conhecidas personalidades do show-business italiano das últimas quatro décadas.Ele fez a sua estréia em 1962 e rapidamente tornou-se famoso, tendo ganho diversos festivais musicais na Itália, incluindo o Festival Canzonissima em 1969 e emplacou inúmeros sucessos nos anos 60 na Italia , em países da Europa e América, incluindo o Brasil. Em 1970, representou a Itália no Festival Eurovisão da Canção 1970 , interpretando o tema Occhi Di Ragazza (Olhos de rapariga) A sua carreira entrou em declínio em meados dos anos 70 mas voltou em força nos anos 80. Gianni Morandi venceu o Festival de São Remo em 1987 , classificou-se em segundo em 1995 e terceiro em 2000.Estima-se que Morandi tenha vendido mais de 30 milhões de LPs e CDs. Ele escreveu vários livros autobiográficos e surgiu em dezoito filmes. Na televisão, surgiu em 1984 na série televisiva Voglia di volare.Vivam momentos mágicos com esta belíssima coletânea abrangendo o melhor da obra do cantor. Destaque para as faixas Non Son Degno Di Te, Se Non Avesse Più Te,  In Ginocchio Da Te, C'Era Un Ragazzo Che Come Me, Si Fa Sera e a belíssima versão para o italiano de Here, There And Everywhere intitulada Una Che Dice Di Si. É necessário descompactar duas vezes o arquivo

Compositor Paulo Vanzolini morre aos 89 anos em São Paulo

Compositor e zoólogo Paulo Vanzolini morreu neste domingo aos 89 anos, vítima de complicações decorrentes de uma pneumonia. Ele estava internado desde a noite da última quinta (25) --seu aniversário-- na UTI do hospital Albert Einstein, em São Paulo.Deixa mulher, a cantora Ana Bernardo, e cinco filhos do primeiro casamento.O velório, reservado a familiares e amigos, será nesta manhã, no Albert Einstein. O enterro deve ocorrer durante a tarde, no Cemitério da Consolação.Um dos ícones do samba paulistano, criou clássicos como "Ronda", "Volta por Cima" e "Praça Clóvis", interpretados por grandes nomes da MPB, como Chico Buarque, Maria Bethânia e Paulinho da Viola.No mês passado, Vanzolini foi um dos 87 artistas a se apresentar em evento no Teatro Oficina para arrecadar fundos para reformar e ampliar a Casa de Francisca, pequena casa de shows paulistana. Também em março, recebeu o Prêmio APCA (Associação Paulista de Críticos de Arte) pelo conjunto da obra.Compositor bissexto, de músicas que chegavam a demorar um ano a ficar prontas, Vanzolini não tocava nenhum instrumento (para escrever as canções, entoava-as a amigos músicos) e tinha, assumidamente, um "grande problema com a afinação" (como disse em entrevista ao "Jornal do Brasil", em 1970), mas se firmou como um grande compositor de samba.Compunha nas horas vagas do trabalho como zoólogo de renome internacional especializado em répteis. Com doutorado em Harvard, Vanzolini foi por três décadas diretor do Museu de Zoologia da USP, onde trabalhou por mais de 50 anos.

domingo, 28 de abril de 2013

Alceu Valença - Grandes Sucessos

Alceu Paiva Valença (São Bento do Una, 1 de julho de 1946) é um cantor e compositor brasileiro. Seu disco de estréia foi gravado em parceria com Geraldo Azevedo.Nasceu no interior de Pernambuco, nos limites do sertão com o agreste. Influenciado pelos maracatus, cocos e repentes de viola, Alceu conseguiu utilizar a guitarra com baixo elétrico e, mais tarde, com o sintetizador eletrônico nas suas canções. O envolvimento de Alceu com a música começa na infância, através dos cantadores de feira da sua cidade natal. Jackson do Pandeiro, Luiz Gonzaga e Marinês, três dos principais irradiadores da cultura musical nordestina, foram captados por ele. Em casa, a formação ficou por conta do avô, Paulo Alves Valença, que era poeta e violeiro. Aos 10 anos vai para Recife, onde mantém contato com a cultura urbana, e ouve a música de Orlando Silva e Dalva de Oliveira, alternando com o ritmo de Little Richard, Ray Charles e outros ícones da chamada primeira geração do rock'n'roll. Recém-formado em Direito no Recife , em 1969, desiste das carreiras de advogado e jornalista - trabalhou como correspondente do Jornal do Brasil - e resolve investir na música. Em 1971, vai para o Rio de Janeiro com o amigo e incentivador Geraldo Azevedo.Começa a participar de festivais universitários, como o da TV Tupi com a faixa Planetário. Nada acontece. Nenhuma classificação, pois a orquestra do evento não conseguiu tocar o arranjo da canção.
Em 1980, lança o LP Coração Bobo (Ariola), cuja música de mesmo nome faz sucesso nas rádios de todo o país , revelando o nome de Alceu Valença para o grande público. Apresenta-se em vários estados brasileiros. Nos anos seguintes emplaca vários sucessos na MPB como Tropicana, Como Dois Animais , Anunciação etc e se destaca no cenário artistico brasileiro.Em 1996, ao lado de Geraldo Azevedo, Zé Ramalho e Elba Ramalho participa da série de shows O Grande Encontro, que percorreu diversas cidades brasileiras e registrada pela gravadora BMG no álbum de mesmo nome.Em julho de 2000, participa da noite "Pernambuco em canto: carnaval de Olinda", no Festival de Montreux (Suíça) , ao lado de Elba Ramalho, Geraldo Azevedo, Naná Vasconcelos e Moraes Moreira. Alceu Valença não tem medo de experimentar o novo, nem de resgatar o tradicional, sabe transitar sobre todos os universos com o seu olhar. É um questionador. Senso crítico único.Pensa em tudo antes de tomar uma posição, mas nunca fica em "cima do muro" ou segue o fluxo.Vivam momentos mágicos com esta coletânea exclusiva produzida pelo blog abrangendo o melhor de sua obra. Não se esqueçam que o arquivo precisa ser descompactado duas vezes.

quinta-feira, 25 de abril de 2013

58 Feira Do Colecionador CD - Vinil - Vídeo - DVD

Para quem gosta de novidades musicais e discos raros não percam a 58 Feira do Colecionador do nosso amigo Tangerino que se realizará no dia 01 de Maio quarta feira das 9:00h às 16:30h na Avenida Paulista 1499 (estação Trianon do Metrô).

quarta-feira, 24 de abril de 2013

Antonio Carlos & Jocafi - Grandes Sucessos

Estava eu recentemente numa manhã em pleno trânsito caótico de São Paulo ouvindo na Jovem Pan FM o programa Bom Dia São Paulo. Escuto o noticiário na FM porque a recepção é boa e gosto porque o jornalismo é extremamente competente na estação. Quando sem perceber por alguns instantes de distração que um ruído estridente estava me incomodando e então percebi que o noticiário havia acabado e entrado consequentemente uma programação de música. Logo meus ouvidos no meio daquele trânsito entraram em colapso com a qualidade horriível da música atual que em vez de relaxar traz sequelas para nossa saúde e stress já costumeiro.Imediatamente mudei de estação em procura de salvação foi quando me deparei com a música Você Abusou da dupla baiana Antonio Carlos & Jocafi e imediatamente me transportei para 1971 no ápice da minha juventude com 18 anos onde o país vivia uma fartura de criatividade musical, longe desta mesmice, pobreza e descartável música atual brasileira que infelizmente o jovem atual nem tem noção pela contaminação da mídia. Fiquei maravilhado por ouvir novamente a música Você Abusou com sua poesia simples e extremamente gostosa de um sambinha despretensioso, que acentua sua despretensão na própria letra (“se o quadradismo dos meus versos / vai de encontro aos intelectos”), desta dupla baiana que tanto enriqueceu o cenário brasileiro, especialmente nos anos 70 e automaticamente me deu vontade de resgatar o melhor de sua obra para uma coletânea no blog. Nem sempre fora assim: uma dupla de compositores, cantores, instrumentistas bem afinados e entrosados, criando juntos, fazendo discos, shows e turnês lado a lado.O letrista Ildásio Tavares assim escreveu:  ..."No princípio, não era o verbo e sim a discórdia"...Isto porque, antes de formarem a dupla, Antonio Carlos Marques Pinto (o Vieira) e José Carlos Figueiredo (o Jocafi) eram rivais, competidores contumazes. Ildásio (juntamente com o maestro Carlos Lacerda) contribuiria para a união musical dos dois, trabalhando como parceiro,  e agregando um pequeno grupo, cuja principal porta-voz era a cantora Maria Creuza. Na época, realizaram diversos shows com roteiros de Ildásio Tavares. Se no início havia dois compositores, intérpretes, músicos, buscando individualmente divulgar seus trabalhos de forma competitiva, até, uma vez constituída a dupla, ambos passariam a assinar juntos e dividir os direitos autorais, mesmo das composições individuais, repetindo a bem sucedida fórmula já universalizada por Lennon/McCartney, Roberto e Erasmo Carlos, etc. Nas palavras do próprio Antonio Carlos, em entrevista de 1975 ao jornalista Aramis Millarch com Maria Creuza, Antonio Carlos e Jocafi:"...Qualquer coisa que eu tenha feito, mesmo sem Jocafi, é de Antonio Carlos e Jocafi, hoje. Como qualquer coisa que ele tenha feito sozinho, é de Antonio Carlos e Jocafi. Mesmo antes de nos conhecermos...". Vivam momentos mágicos com  esta coletânea remasterizada produzida pelo blog abrangendo o melhor da dupla. É necessário descompactar o arquivo duas vezes.

disco aqui!

segunda-feira, 8 de abril de 2013

Morre a cantora e atriz Annette Funicello

Annette Funicello, estrela da TV e de musicais de cinema ambientados em festas na praia no começo da década de 1960, morreu aos 70 anos nos Estados Unidos. As informações são da revista norte-americana "Variety".A artista batalhava contra a esclerose múltipla desde 1987, ano em que realizou seu último trabalho como atriz, e estava sendo mantida viva por conta de aparelhos. A equipe médica decidiu suspender o suporte à vida nesta segunda-feira 08 de Abril. Annette anunciou que era portadora da doença somente em 1992. Nascida em 1942 na cidade de Utica, no estado de Nova York, ela estreou no mundo do entretenimento aos 12 anos, quando participou do programa de TV "The Mickey Mouse Club" depois de ser descoberta pelo próprio Walt Disney. Na década de 1960, Annette participou de uma série de musicais como "A Praia dos Amores", "Quanto Mais Músculos Melhor" e "A Praia dos Biquínis".
A última aparição da atriz na TV aconteceu em 1996, quando o programa "Biography" dedicou um episódio à carreira dela.

sábado, 6 de abril de 2013

Os Incríveis Neste Mundo Louco (1967)

Segue a repostagem do filme Os Incríveis Neste Mundo Louco originalmente apresentado em 1967 no circuito nacional de cinema. As imagens  estão razoáveis e eu deixei em DVD para não perder nada de qualidade. O filme foi postado na rede e com capinha exclusiva.pela primeira vez no antigo blog . Depois vários blogs postaram o arquivo como de costume e sem citar a fonte. Estou repostando para aqueles que por algum motivo perderam a oportunidade de baixar na época. O filme foi dividido em nove partes e é preciso baixar todas antes de fazer a extração.

Filme aqui!
parte 1 - parte 2 - parte 3 - parte 4 - parte 5 - parte 6 - parte 7 - parte 8 - parte 9

terça-feira, 2 de abril de 2013

Johnny Foster - Amore Scusami 1964

John Foster, nome artístico de Paolo Occhipinti, cantor-jornalista e colunista da revista italiana 'Oggi', foi um cantor italiano meio obscuro dos anos sessenta, acima de tudo lembrado pelo seu grande êxito Amore Scusami (letra de Vito Pallavicini e música de Gino Mescoli),com o qual participou no Festival de San Remo, em 1964. John Foster é um caso raro de um jovem que reuniu a caneta do jornalista com o microfone, para cantar com igual sucesso. Segue esta compilação de singles de Johnny Foster  para vocês viverem momentos mágicos com destaque é claro para a música Amore Scusami. Precisa descompactar o arquivo duas vezes.


disco aqui!

segunda-feira, 1 de abril de 2013

Geraldo Vandré - Geraldo Vandré (1979)

Geraldo Vandré, foi um nome artístico utilizado por Geraldo Pedroso de Araújo Dias (João Pessoa, 12 de setembro de 1935) e pelo qual continua sendo conhecido até a atualidade. Geraldo é advogado, e um dos maiores cantores e compositores brasileiros. Seu sobrenome é uma abreviatura do sobrenome do seu pai, José Vandregísilo. Conheceu Carlos Lyra, que se tornou seu parceiro em músicas como "Quem Quiser Encontrar o Amor" e "Aruanda", gravadas por Lyra. Gravou seu primeiro LP, "Geraldo Vandré", em 1964, com as músicas "Fica Mal com Deus" e "Menino das Laranjas", entre outras.Em 1966, chegou à final do Festival de Música Popular Brasileira da TV Record com o sucesso Disparada, interpretado por Jair Rodrigues. A canção arrebatou o primeiro lugar ao lado de A Banda, de Chico Buarque.Em 1968, participou do III Festival Internacional da Canção com Pra não Dizer que não Falei das Flores, mais conhecida por Caminhando. A composição se tornou um hino de resistência do movimento civil e estudantil que fazia oposição à ditadura militar durante o governo militar, e foi censurada. O Refrão "Vem, vamos embora / Que esperar não é saber / Quem sabe faz a hora, / Não espera acontecer" foi interpretado como uma chamada à luta armada contra os ditadores. No festival, a música ficou em segundo lugar, perdendo para Sabiá, de Chico Buarque e Tom Jobim. A música Sabiá foi vaiada pelo público presente no festival, que bradava, exigindo que o prêmio viesse a ser da música de Geraldo Vandré.Simone foi a primeira artista a cantar Pra não dizer que não falei das flores após o fim da censura.Hoje, Geraldo Vandré reside no centro da cidade de São Paulo, mas sempre viaja para o Rio de Janeiro ou Imbituba, no litoral sul de Santa Catarina. Em 12 de setembro de 2010 (dia de seu aniversário de 75 anos), Vandré concedeu no Clube da Aeronáutica no Rio de Janeiro uma polêmica entrevista ao jornalista Geneton Moraes Neto, onde critica o cenário cultural brasileiro desde os anos 1970 e afirma que seu afastamento da música popular não foi causado pela perseguição sofrida pela ditadura militar, mas sim pela falta de motivação para compor ao público brasileiro, vítima do processo de massificação cultural.Vivam momentos mágicos com este belíssimo disco de Geraldo Vandré lançado em 1979 com 03 faixas bônus incluídas pelo blog. Destaque para as músicas Pra Não Dizer Que Não Falei Das Flores (Caminhando), Porta Estandarte e Samba Em Prelúdio (faixa bônus). Para extrair o arquivo é necessário descompactar 02 vezes.

disco aqui!